Autor: Adnil Novais Neto

 Funcionário Público e Poeta Trovador de reconhecido valor no meio literário.

Trovas

As mãos não sabem falar,

Dizem através de gestos,

Palavras tantas, sem par:

Adeus, aplausos, protestos.

 

Fiz trova de pé-quebrado,

Consultei o ortopedista,

Que me disse, assustado:

“Sou doutor, não sou artista”.

 

Meu amor é como a tarde,

Parte mais quente do dia.

Se me toca, a pele arde,

Se não toca, o corpo esfria.

Gramática Romanesca

Foi na Análise Gramatical Normativa
que encontrei forma original
e também Afirmativa
de definir nosso Romance.
Quando um dia te encontrei,
eu era um Sujeito Simples
sem qualquer Predicado.
Tu me rezaste a Oração Principal,
me atribuíste Adjetivos em Metáforas
que, apesar da tua Voz Ativa,
foste suave como a Partícula Expletiva.
Renasci para vida de Modo Imperativo
que me levantou o moral.
Descobri – até! – que Amar! Amar!
é Verbo Transitivo Direto
e não um Complemento Nominal.
Entendi e gostei do Pleonasmo
nos elogios que me fizeste,
mas não perdi a Condição Singular
de continuar um Sujeito Oculto
do teu mundo Pretérito
de amores Indefinidos e Plurais.



 

Academia de Letras do Brasil

Seccional Bahia

© 2017  Criado por Fenix Solução