Autora : Artemisia Alencar Soares de Sampaio

(PSEUDÔNIMO: "AFILHA") POETISA. CIDADE JUAZEIRO DO NORTE (CEARÁ).

Sem Tempo

Corre o homem, corre o tempo

Num vai e vem sem cessar

Na subida ou na descida

Como é difícil esta vida

Como é difícil lutar.

 

Corre o homem para o nada,

Pois uma dia, uma parada

Obrigatória ele tem...

Não teve tempo de amar

Nem mesmo de querer bem

Como é difícil acertar...

Madrigal

Vida, quimera...

Luta sem trégua

Sofrer sem paz

Chorar na vida

Querer querida,

E sorrir mai,

Pensar sem rumo,

Seguir sem prumo...

Enviar beijos,

Sentir desejos!

Cantar baixinho,

Falar bem alto...

Ouvir de perto, 

Dizer o certo,

Dizer mentira

A vida inteira!

Que curta vida

Tudo ilusão...

Sem coração,

Ouvir promessa,

Nunca ter pressa 

De terminar...

Por que menina

Temer, chorar?...

Academia de Letras do Brasil

Seccional Bahia

© 2017  Criado por Fenix Solução