Autor:  Clarindo Mário Queiroz Galvão 

Aposentado pela Petrobrás, Poeta.

A simplicidade e o orgulho

EM QUE REINO TU NASCESTE GIGANTE ORGULHO?

DE UMA APARENTE RIQUEZA QUE ILUDE UM TOLO,

OU DA UNIÃO DE ANDROCEU E GINECEU EM PEDREGULHO,

QUE NEGA AO LOUREIRO BELAS FOLHAS DE LOURO.

 

POUCO IMPORTA TEU CRESCIMENTO DESREGRADO

RESULTADO DO QUERER SER SEM TER PODER,

CRIADO EM TERRENO INFÉRTIL E DESPREPARADO

AGORA IMPRODUTIVO, TENDE A FENECER.

 

MAS AQUELE ORGULHO TÃO VIBRANTE, IMPETUOSO

DIANTE DO TRANSCORRER DO CICLO DE UMA VIDA

ENCASTOADO NO TOLO, TORNOU-SE ASQUEROSO,

 

PORQUE O TEMPO MOSTRA A DIFERENÇA DO SER

QUE NA SIMPLICIDADE DO SABER VIVER,

VENCE O ORGULHO E FAZ NASCER COM FORÇA O PODER.

Ventura e Desventura

À PROPORÇÃO QUE ANOS VÃO SE SOMANDO À VIDA

A CONJUNTURA ESTRUTURAL DESTE ORGANISMO

VAI TAMBÉM SE AJUSTANDO À ALTERAÇÃO SOFRIDA

E ACEITA A LIDE SEM SOFRER INCONFORMISMO.

 

ACOSTUMADO AOS DITAMES DA JUVENTUDE

EM QUE O VIGOR IMPÕE, SEM LLIMITES, VENTURA...

AGORA, IDOSO, TEM QUE TER SUA MAGNITUDE

SUBJUGADA AOS CAPRICHOS DESTA DESVENTURA.

 

A DESVENTURA EM SI NÃO É SOMENTE A VELHICE

MAS O QUE A ACOMPANHA COM SUAS LIMITAÇÕES,

A JUVENTUDE FICOU ATRÁS NÃO MAIS EXISTE

 

E O IDOSO, EM SAUDADES, BUSCA NOVAS AÇÕES,

SER FELIZ, PACIENTE E A CRENÇA REAL NA BEATICE

DE ENCONTRAR EM DEUS TANTAS OUTRAS EMOÇÕES.

Academia de Letras do Brasil

Seccional Bahia

© 2017  Criado por Fenix Solução