Autor: Luiz Fernando Lima.

Desembargador do Tribunal de Justiça da Bahia. Poeta. Humanista.Espiritualista. 

ROTINA

 

EM LÃS FELPUDAS TE DEITAS

FECHADA, RESTRITA AO TEU MUNDO

A MIM DESPREZAS, REJEITAS

BUSCANDO UM SONO PROFUNDO

ACORDAS AMARGA, SOMBRIA

GUARDADA AOS TEUS PENSAMENTOS

NEM SORRISO, NEM BOM DIA

NEM OLHAR DE ACALENTO

ROTINEIRA INDIFERENÇA

ORGULHO VELADO, SUTIL

IGNORAS A PRESENÇA

DE QUEM OS BRAÇOS ABRIU

VÃO-SE AS HORAS, QUASE NUAS

VÃO-SE OS DIAS, PASSAM OS ANOS,

PASSA A VIDA, PASSAM AS LUAS

NUNCA NOS ENCONTRAMOS.

CANSAÇO

 

CANSEI DE CORRER

CANSEI DE PARAR

CANSEI DE NÃO VER

CANSEI DE OLHAR

CANSEI DE BATER

CANSEI DE APANHAR

CANSEI DE SOFRER

CANSEI DE ALEGRAR

CANSEI DE OUVIR

CANSEI DE FALAR

CANSEI DE SORRIR

CANSEI DE CHORAR

CANSEI DE PEDIR

CANSEI DE ME DAR

CANSEI DE FUGIR

CANSEI DE VOLTAR

CANSEI DE FINGIR

CANSEI DE ENGANAR

CANSEI DE NÃO IR

A ALGUM LUGAR

CANSEI DE PERDER

CANSEI DE GANHAR

CANSEI DE QUERER

CANSEI DE AMAR

CANSEI DO SEU ÓDIO

CANSEI DO SEU TÉDIO

DA SUA PRESENÇA

DO SEU ASSÉDIO

DA SUA EXISTÊNCIA

AMARGO REMÉDIO

DO SEU JEITO DE SER

CANSEI DE VOCÊ.

Academia de Letras do Brasil

Seccional Bahia

© 2017  Criado por Fenix Solução