Autor: Luiz Pondé de Oliveira  Barretto

Triplamente vitorioso profissionalmente: na condição de Executivo – Educador – Empreendedor, além de Escritor Poeta.

As Trigêmeas

Homenagem às suas netas trigêmeas: Beatriz, Luiza e Carolina.

Nasceram todas na matina,

Precioso e lindo presente:

Beatriz, Luiza e Carolina.

Alegria maior, finalmente.

 

Vida risonha esplendente,

Sem dúvida maravilhosa,

Começando impertinente

Sonha o canto d’uma rosa.

 

Primeiro leite reclamando,

Luiza e Beatriz implorando,

O papai Almir preocupado

Vê Carolina deslumbrado.

 

Vida risonha esplendente,

Sem dúvida maravilhosa,

Começando impertinente,

Sonha o canto d’uma rosa.

 

Ouça Irene, mãe das meninas:

Recital para elas, por favor,

Faça ouvir as pequeninas

Este meu canto de amor.

Há quarenta anos...

Ela tinha dezessete primaveras.

Ele, dez anos mais velho, era só olhar.

Estavam na festa com muitas paqueras,

anos sessenta, eles pediam para dançar...

 

Naquela época ainda não existia o “ficar”

nas festas, eles arriscavam levar um não.

Após percorrer o salão, convidar para dançar,

ele foi até ela, transbordando de emoção...

 

Ela, linda num canto, escondia beleza...

Ele indeciso andava, olhando o chão.

Estava temeroso e sem muita certeza.

-Vamos dançar, perguntou? Recebeu um não!

 

Aquilo foi terrível... E pensou em vingança!

Olhava para outras, mas, nenhuma o atraía,

a queria vendo-o, com outra, em contradança,

mas, deixou a festa que já lhe aborrecia.

 

Dormiu mal à noite, mas, raiva não sentia...

Daria tempo ao tempo e isto ajudaria...

Paquerou muito, mas, dela não esquecia...

Finalmente, outra chance se repetiria:

 

Surgiu, no Bahiano, na festa das Nações,

comidas típicas e souvenir a venda;

ela estava lá ...ele sentia todas as emoções

iria até ela e .... ofertaria uma prenda.

 

Olá tudo bem? Quero lhe dar um souvenir...

- obrigado, disse ela com um lindo sorriso...

fez o convite convicto ... ela iria consentir...

dançaram muito. Foi inicio do compromisso.

 

Hoje, quarenta e muitos anos depois do Não,

acordei pensando no que te dar de lembrança...

Ofereço-lhe estes versos com grande emoção.

Lembra-te amor! ...tudo começou numa dança.

Academia de Letras do Brasil

Seccional Bahia

© 2017  Criado por Fenix Solução