Aos que perguntam, explico:

minha poesia é

a comunicação que não foi feita,

a ponte não construída,

a seta não lançada,

um incêndio que lavra

e não consome,

ternura congelada

e uma angústia sem nome.

 

Algemada a palavras,

Vou vivendo ainda

E fazendo de conta

Que a vida é feita

De papel e tinta.

                   Explicação

Autora : Vera Freitas

Bacharel em Direito. Elevada sensibilidade poética.

Academia de Letras do Brasil

Seccional Bahia

© 2017  Criado por Fenix Solução